Sherlock Holmes: Sherlock Para Crianças: O Silver Blaze - Mark Williams - ebook
Opis

Os contos clássicos do Sherlock Homes foram re-escritos para as crianças do vigésimo primeiro século, para que elas possam conhecer o detetive mais famoso do mundo. Este livro faz parte dos clássicos para crianças, da série internacional best-seller, do autor Mark Williams, que se orgulha em apresentar o segundo livro, adaptado dos contos de Sherlock Holmes: "O Silver Blaze". Junte-se ao Holmes e ao Watson consoante eles resolvem o mistério do cavalo de corrida desaparecido Silver Blaze,. Um conto do século XXI, para crianças, em Inglês e, agora, também disponivel em Português, com o lado sórdido da vida Victoriana deixado para trás. Ideal para que as crianças de todas as idades sejam introduzidas ao detetive mais famoso do mundo.

Ebooka przeczytasz w aplikacjach Legimi na:

Androidzie
iOS
czytnikach certyfikowanych
przez Legimi
Windows
10
Windows
Phone

Liczba stron: 34

Odsłuch ebooka (TTS) dostepny w abonamencie „ebooki+audiobooki bez limitu” w aplikacjach Legimi na:

Androidzie
iOS

Podobne


Clássicos para Crianças

Sherlock Holmes

O Silver Blaze

adaptado para crianças por

Mark Williams

traduzido por

Patricia Pinto

“Clássicos para Crianças: Sherlock Holmes: Silver Blaze”

Escrito porMark Williams

Copyright © 2015 Mark Williams

Todos os direitos reservados

Distribuído porBabelcube, Inc.

www.babelcube.com

Traduzido porPatricia Pinto

“Babelcube Books”e “Babelcube” são marcas comerciais da Babelcube Inc.

1.

A Sra Hudson tinha nos preparado um bom pequeno-almoço, um pouco maior do que o habitual. O tipo de pequeno-almoço que ela preparava, quando nós não vínhamos almoçar. E não fiquei surpreendido quando o meu querido amigo Sherlock Holmes me disse que ía embora para Dartmoor, naquela manhã.

"O Silver Blaze?" Perguntei.

"O Silver Blaze." Disse o Holmes. "E espero que venhas comigo, Watson. Receio que este seja um trabalho que requer alguma ajuda."

Claro que concordei imediatamente. O cavalo de corrida Silver Blaze estava desaparecido e era notícia de primeira página, há já vários dias, até ao dia de hoje; todos tinham uma opinião sobre o que poderia ter acontecido com o animal e sobre quem tinha matado o treinador do cavalo.

Mas todos os jornais revelavam que a polícia local não tinha feito nenhum progresso nas investigações. Eu sabia que não havia outra pessoa no país que podia resolver este mistério, apenas o Sherlock Holmes.

E assim foi, uma hora mais tarde, estávamos a sair da Estação de Paddington, em Londres, em direção a oeste, para Exeter.

O Holmes tinha comprado todos jornais mais recentes, na estação, pouco tempo antes de embarcarmos no comboio, e leu-os um a um, na primeira parte da viagem, mas parecia que não tinha encontrado nada de interessante. Então, ficou a olhar pela janela, durante vários minutos, enquanto verificava o seu relógio de bolso.

"Cinquenta e três quilómetros e meio por hora." Disse-me ele. "Esta é a nossa velocidade atual."

Eu olhei para o Holmes. "Como consegues saber isso?" Perguntei.

O Holmes apontou para os postes telegráficos, que estavam dispostos ao longo do caminho-de-ferro. "Se soubesses que cada poste está a sessenta metros um do outro, então saberias que o cálculo é bastante simples." Disse ele.

Eu pensei comigo mesmo: só se tivesse um cérebro como o do Sherlock Holmes. Quem mais poderia saber que cada poste telegráfico está a sessenta metros de distância um do outro?

Apontei para os jornais, que o Holmes tinha acabado de ler, e perguntei: "Há mais alguma notícia sobre o misterioso desaparecimento do Silver Blaze?"

"Deixa-me atualizar-te sobre o que aconteceu." Disse o Holmes, recostando-se na sua cadeira. "Na terça-feira à noite, recebi um telegrama do proprietário do Silver Blaze, o Coronel Ross, para pedir a minha ajuda. E, logo a seguir, chegou um telegrama do Inspetor Gregory, também a pedir-me ajuda."

"Mas hoje é quinta-feira!" Olhei para o Holmes. "Então, porque não fomos para aquela terra desertificada de Dartmoor, ontem? Porquê que esperámos mais um dia?"

"Porque…" Disse o Holmes. "…como tu próprio disseste, Dartmoor está desertificada. Como é que é possível que alguém consiga roubar e esconder um cavalo. numa terra tão despovoada? Ainda por cima, um cavalo tão distinto como o Silver Blaze, o cavalo mais famoso de toda a Inglaterra, com a polícia e o público todos interessados nele! Eu pensava que tinham encontrado o animal, ontem, e que tinham encerrado o assunto."

"E por causa disso desperdiçaste um dia inteiro, Holmes?" Disse eu. "Nem parece teu."

"Foi pouco desperdiçado, meu caro Watson." Disse o Holmes. "Tive tempo para estudar os fatos, como nós os conhecemos, e agora tenho uma imagem clara do que aconteceu até hoje, por isso vamos ser capazes de começar a trabalhar, imediatamente, assim que chegarmos."

"Fico muito satisfeito por ouvir isso, Holmes!" Disse eu. "Agora, talvez me possas explicar, pois eu não tenho nenhuma ideia concreta sobre tudo o que aconteceu; apenas sei que o cavalo desapareceu e que o instrutor do cavalo está morto."

Sentei-me na minha cadeira e ouvi tudo o que o Holmes tinha para me dizer, sobre tudo o que tinha descoberto até agora.

2.

"O Silver Blaze é um bom cavalo de corrida e propriedade do Coronel Ross." Disse o Holmes. "O seu treinador, o John Straker, foi encontrado morto num campo, perto dos estábulos, no início da manhã, e o cavalo tinha desaparecido."

"Mas porquê que alguém iria querer roubar um cavalo de corrida? Ninguém o podia vender, nem fazer corridas com ele, porque todos os envolvidos nos negócios de corridas de cavalos conheciam o Silver Blaze. Como disseste, anteriormente, e bem, Holmes, ele é o cavalo mais famoso do país."